As coisas mais impressionantes no universo

O universo é de fato impressionante. Mais que isso, ele é magnífico, com todas as coisas que o homem descobriu ao longo dos anos e que fomentam o nosso conhecimento a conhecer mais e mais.

Pensando somente e exclusivamente nele, este post vai falar sobre as coisas mais impressionantes no universo.


Antes de adentrarmos no assunto, ficamos claros por aqui de que este post não é de cunho científico, nem jornalístico. Vamos pincelar de forma simples sobre cada uma das coisas que existem no universo com o objetivo somente de se deslumbrar cada vez mais pelo mundo em que vivemos e sair um pouco da realidade. Ficamos combinados assim? Simbora pra lista!

Água

Se você pensou que íamos falar só de coisas que existem no espaço, entendeu errado, o universo engloba o todo e a água está nele também, só que não em todo ele como bem sabemos. Portanto, a água poderia ser considerada a coisa mais rara do universo.

Antigamente acreditava-se que a água era responsável pela vida. Onde existisse água, ali existiria vida, porém, estudos recentes revelam que existe água em outros lugares fora da Terra que não existe vida. A vida na Terra só foi possível graças a todas as condições necessárias, como por exemplo, distância correta do sol, existência de um satélite natural na distância razoável que proporcionam uma condição climática favorável, além de inexistência ou baixa existência de elementos químicos nocivos a nossa espécie.


A água como conhecemos e necessitamos para viver, como bem sabemos e entendemos é o nosso combustível de vida, sem ela, morreríamos, assim como uma planta morre sem água numa terra seca sem nutrientes. Somos fruto do seu poder vitalício e por este motivo, é que talvez nunca consigamos morar noutro planeta que não exista água.

Acredita-se que possam existir formas de vida em outros planetas que sejam diferentes do nosso e que tais seres necessitem de um elemento principal que domine tal planeta, assim como necessitamos da nossa água. Porém, são só teorias. O fato mesmo é que a água é a principal joia da Terra.

Homem

O homem deve ser uma das coisas mais impressionantes do universo. É claro que temos que entrar nesta lista! Somos parte do universo e se não duvidar, somos a coisa mais incrível que existe.

Como ainda não temos conhecimento real de seres extra-terrestres, podemos nos considerar os únicos seres racionais e construtores que existe no universo e isso faz de nós, uma coisa fantástica. Como que algo que surgiu do nada consegue fazer coisas de forma racional, intelectual, em conjunto e com objetivos? As demais coisas que vamos ver nesta lista, reagem no universo de acordo com o cosmos, mas nós, somos muito aleatórios, impressionantemente imprevisíveis.

Apesar de o homem ter habilidades fantásticas como pensar, se comunicar, construir, ele também possui uma que é ruim: a habilidade de destruir. Principalmente agora com o avanço de nossa tecnologia, temos a capacidade de destruir nosso próprio planeta, como corpos celestes à fora. Mas vamos crer que na história deste ser, possamos ser construtores e dominadores do universo.


Deve demorar milhares de anos ainda para o homem conseguir dominar o universo. Nem sequer começamos a engatinhar neste sentido. Esta ideia ainda não passa de um sonho. Viajar pelo espaço, habitar outros planetas são realidades bem distantes da nossa atualidade, mas podemos dizer que iniciamos esse processo de domínio, por exemplo, conseguindo criar satélites.

Satélites

O satélite é um corpo celeste que orbita em torno de um planeta ou outro corpo maior, ou seja, um planeta anão é satélite de uma estrela, uma galáxia anã é satélite de uma galáxia maior e assim por diante, desde que uma coisa menor orbite em torno de uma maior.

No universo existem vários e de todos os tipos, eles são chamados de satélites naturais. A nossa lua, por exemplo, é o único satélite natural da Terra. Talvez seja por isso que amamos tanto essa lindona.


Impressionantemente, a lua não orbita nosso planeta a toa. Ela está há 384.400 km da Terra e tem suas funções importantíssimas, como controle da força da maré, equilíbrio do calor interno do planeta, controle gravitacional e também, nossa luz natural quando a luz do sol não pega em parte do planeta, que chamamos de noite.

Outros planetas possuem satélites naturais, ou como chamamos "luas". Saturno é o planeta que possui mais luas, mas as luas de Júpiter são as mais incríveis e fabulosas. Entre elas Ganímedes a maior lua de Júpiter e maior satélite natural do sistema solar; Europa a lua onde foi encontrado água além da Terra, Calisto por ser linda mesmo e Io, por que é grandona também. 

Luas de Júpiter: Io, Europa, Ganímedes e Calisto
O homem é tão incrível que ele conseguiu criar satélites artificiais para trabalhar a seu favor. São eles que trazem todas as informações do universo para nós, como por exemplo, fotos reais do universo, informações meteorológicas, transmissões de comunicação de TV, rádio e internet.

A ISS (International Space Station), é a maior estrutura já montada no espaço pelo homem. Produto do esforço de 15 países, a ISS é um moderno laboratório para observação da Terra e realização de experimentos em ambiente de baixa gravidade.


Estima-se que daqui há 100 anos, existam milhares de satélites em volta da Terra.


O que preocupa mesmo a todos é a questão do lixo espacial provocado por nós mesmos. Estamos constantemente enviando coisas pro espaço e com o passar do tempo, eles vão sendo descartados de uso, mas quase nunca retornam a Terra. São pedaços de cometa, satélites abandonados, placas soltas de estações espaciais...

Cometas

O cometa é um corpo menor que quando passa perto do sol passa a exibir uma atmosfera difusa denominada de coma. Alguns casos, eles também apresentam uma calda que é claramente visível a olho nu.


O Halley é o cometa mais famoso de todos. Ele passa pela Terra a cada 74 a 79 anos. E ainda é considerado como um cometa de período curto. A última aparição do cometa Halley foi em 1986. A primeira vez que foi visto por Edmond Halley em 1705 quem iniciou a periodicidade do cometa. De lá pra cá, o cometa Halley foi visto quatro vezes.


Normalmente, os cometas que são visíveis a olho nu, passam e demoram uma eternidade para voltar a ser visto na Terra. Eles viajam sem destino e alguns colidem com outros e nem chegam a voltar.

Os cometas não possuem forma específica. Eles na verdade são corpos rochosos que vagam o espaço sem destino, assim como os asteroides.

Asteroides

Desde que a Terra se entende por Terra que os asteroides afugentam a sua existência. Nós temos muito medo de que um destes corpos celestes nos atinga e nos destrua com um impacto mortal como aconteceu há milhões de anos atrás na era dos dinossauros. Esse medo é real por que existe asteroides de todos os tamanhos possíveis vagando pelo universo. Mas o que são asteroides?


Asteroides. são corpos rochosos e metálicos que possuem órbita definida ao redor do Sol. Fazem parte dos corpos menores do sistema solar, possuindo, geralmente, apenas algumas centenas de quilômetros.

Recentemente... (já faz quase um ano, rsrs) um asteroide de um formato muito estranho passou bem próximo da Terra e ele possuía um movimento bem diferente do comum também. Muitos acreditaram que ele fosse uma espécie de nave alienígena por conta do seu comportamento estranho. Mas estranho mesmo foi o nome que ele ganhou: Oumuamua. Parece até uma invocação do mal.


No universo, tudo está em movimento, isso é um fato, mas a gente costuma achar que os asteroides são os únicos que se movimentam no espaço sideral por conta de seu tamanho ser mais próximos da nossa realidade. Logo, é mais fácil notar algo próximo do nosso tamanho se movimentar do que algo gigantesco como um planeta.

Planetas

Os planetas são sim, impressionantes. Tem planeta de todo tipo! 

Todo mundo sabe que além da Terra, existem vários planetas. Somente em nosso sistema solar, são nove. Além dele, existem milhares que a gente nem conhece por nome, mas a NASA afirma de pé junto que já viu com o seus telescópios. 


Um planeta é um corpo celeste que orbita uma estrela ou um remanescente de estrela, com massa suficiente para se tornar esférico pela sua própria gravidade, mas não ao ponto de causar fusão termonuclear, e que tenha limpo de planetesimais a sua região vizinha.

Acredita-se que os planetas surgiram de planetesimais que foram rodando e rodando no universo, adquirindo corpos rochosos chamados de poeira cósmica, formando uma coisa sem formato, até cair em órbita de uma estrela e passar a rodar através dela por anos e anos até ganhar a forma esférica.



Existem planetas que não possuem a forma redonda. São classificados como planetas pelo seu tamanho, mas não ainda tem tempo suficiente para atingir a forma esférica. Mas o planeta mais incrível do sistema solar na opinião do autor que vos escreve é o poderoso Saturno, mas ele é impossível de viver.


Não tem outro planeta mais lindo de se ver num telescópio que Saturno. Graças a seus anéis que dão a clássica forma ao planeta.



Outro planeta que vale a pena comentar neste post e que está muito relacionado à Terra é Nibiru, um planeta quatro vezes maior que o nosso que está atrelado a uma teoria que fala que ele pode colidir com a Terra num encontro desastroso. A ideia de colisão de Nibiru originou-se com Nancy Lieder, uma mulher de Wisconsin, que alega que quando menina, ela foi contactada por extraterrestres cinzas chamados Zetas, que implantaram um dispositivo de comunicação em seu cérebro.

Apesar de duvidosa, a teoria da colisão de Nibiru também é impressionante. Já pensou? 





Nibiru nunca foi divulgado por astrônomos como um planeta existente no sistema solar. Acredita-se que estejam ocultando esta verdade para não causar uma desordem mundial entre os seres humanos.  Depois de Lieder, outros membros da comunidade ZetaTalk falaram sobre tal planeta X que chamamos de Nibiru, também confirmaram a teoria, mas ela foi refutada por astrônomos que negam esta possibilidade. Então, por mais que um planeta seja impressionante, ele pode ser destruidor também.


Falando em destruição...

Planetesimais

Como falamos no tópico anterior, planetesimal é um corpo rochoso e ou de gelo de 0.1-100 km que supostamente se formou no início do Sistema Solar e provavelmente seja o responsável pelo início de muitos planetas.


Relembrando: Acredita-se que os planetas surgiram de planetesimais que foram rodando e rodando no universo, adquirindo corpos rochosos chamados de poeira cósmica, formando uma coisa sem formato, até cair em órbita de uma estrela e passar a rodar através dela por anos e anos até ganhar a forma esférica.

Protoplaneta

Enquanto o planetesimal é um corpo de gelo que pode dar origem a um planeta, o protoplaneta é de fato o corpo celeste que está em formação inicial de planeta, ou que tem as características de planeta, mas não tem o tamanho suficiente.


De acordo com a hipótese do Grande Impacto, a Lua foi formada a partir da colisão do protoplaneta Theia com a Terra. O resultado da colisão foram destroços que mais tarde se juntaram e formaram o satélite natural terrestre.

No Sistema Solar existem três protoplanetas que sobrevivem mais ou menos intactos, são também chamados de asteroides Ceres, Palas e Vesta. Ceres, por exemplo, fica localizado no cinturão de asteroides entre Marte e Júpiter, sendo o maior deles. Além de ser classificado como protoplaneta, ele também é conhecido como planeta anão.


Acredita-se que Ceres tenha sido um planetesimal do início do período de formação do Sistema Solar que não se desenvolveu a atingir o tamanho de planeta. Ceres possui um tamanho de 946 km de diâmetro.

Plutão que já foi considerado planeta foi rebaixado a protoplaneta, ou planeta anão.

Exoplanetas

Exoplanetas são planetas que orbita estrelas que não seja o nosso sol. Já foram identificados 4109 exoplanetas em 3059 sistemas detectados. E mais de 2700 estão sendo observados e não se sabe ainda se são planetas ou não.

Existem planetas muito maiores que Júpiter. A maioria destes exoplanetas possui condições inóspitas à existência de vida tal como é concebida em nosso planeta e giram, na maioria das vezes, em órbitas muito próximas da estrela-mãe.


Muitas são as pesquisas em torno de uma segunda Terra, outro planeta que tem as mesmas condições de vida que o nosso. Recentemente, descobriram o planeta Proximo b, que fica localizado na galáxia Proximo Centauri. Lá, encontraram 200 vezes mais água que na Terra, porém, em uma temperatura muito mais elevada. Por este motivo, acredita-se que haja seres vivos neste planeta e que possivelmente seja o nosso primeiro alvo de colonização.


Aí fica a questão: se existir vida em Proximo b, o que prova que somos mais fortes e dominadores que os primitivos que moram lá? Deixe sua opinião nos comentários deste post!

Estrelas

Claro que as estrelas desse post seriam as estrelas. São elas que iluminam nossas noites e o que pouca gente sabe, elas iluminam principalmente o dia. Isso por que o sol é uma estrela e ainda tem gente que não sabe disso e pior, tem gente que duvida disso. 


A maioria das estrelas que vemos a noite nada mais são que incontáveis sóis pelo universo. A estrela mais próxima do nosso planeta é o Sol, como chamamos.

Uma pequena parte do que vemos no céu a noite como estrela em alguns casos são outros planetas que avistamos a olho nu, como por exemplo a estrela Dalva, que nada mais é do que o planeta Venus que está sendo iluminado pelo nosso sol no exato momento que a noite está caindo em uma parte da Terra.


Às vezes é possível ver Marte a olho nu e sim, ele parece uma estrela vermelha no céu à noite. E num caso muito raro, é possível ver outros planetas a olho nu, entre eles Júpiter e Saturno.


As estrelas nada mais são que gigantescas bolas de gás incandescente. O núcleo das estrelas é composto de uma fusão nuclear que formam uma energia poderosíssima.

O brilho que vemos das estrelas foi somente alguns raios gama que conseguiram ser liberados do interior da estrela e foram enviado direto ao espaço. Os raios que não conseguem sair, retornam ao núcleo e reagem em um novo átomo de energia. É complicado de entender, sabemos... 

Visualmente, ela é uma bola de energia querendo explodir, mas é contida por forças da gravidade e outros itens que fazem com que a energia volte para dentro de si. A energia que sai é a luz visível que conhecemos como brilho das estrelas.


O nosso sol aparenta brilhar mais por que é a estrela mais próxima da Terra, porém, a maior estrela é milhares de vezes maior que o sol. Veja este comparativo do tamanho das estrelas. E sim, o sol é o primeiro pontinho na esquerda da imagem abaixo.


Antares é a maior estrela visível a olho nu, porém a maior estrela do universo é a VY Canis Majoris. Ela é dezenas de vezes maior que a Antares, porém ela está muito longe da Terra e para nós, ela não passa de mais uma. 

Para se ter uma ideia do tamanho da estrela VY Canis Majoris é comparado ao tamanho do Maracanã e o nosso sol seria uma bola de basebol. Esta é a diferença entre a maior estrela e o sol.

Nebulosa

Talvez uma das coisas mais lindas do universo sejam as nebulosas. Com um espaço sem fim, existem milhões de nebulosas. As mais conhecidas são nebulosa da águia, nebulosa de Orion, os pilares da criação e a nebulosa Olho de Deus.


As nebulosas são nuvens de poeira, hidrogênio, hélio e plasma. A junção destes componentes cósmicos com a presença da escuridão do universo e o brilho das estrelas dão um resultado incrível. Uma verdadeira obra de arte natural.

A maioria das nebulosas são de tamanho vasto, abrangendo tamanhos de até centenas de anos luz de diâmetro.


Nebulosas são muitas vezes regiões de formações estrelares, como a Nebulosa da Águia. Essa nebulosa é retratada em uma das imagens mais famosas da NASA, os "Pilares da Criação".


Nessas regiões a formação de gás, poeira e outros materiais amontoam-se para formar massas maiores, nas quais atraem mais massas, e eventualmente se tornarão maciças o suficiente para se tornarem estrelas. 

Galáxias

A galáxia é apenas mais um item no universo. Sabemos que uma galáxia é um conglomerado gigantesco de tudo que vimos até aqui: estrelas, planetas, asteroides, cometas, nebulosas e etc. No universo observável existem incontáveis galáxias.

O centro galáctico é onde há maior concentração de estrelas – e onde estão algumas das mais velhas. Ao redor dele há o disco galáctico, onde se encontram as estrelas mais jovens. O Sistema Solar encontra-se na zona externa do disco galáctico da Via Láctea, ou seja, em um dos braços braços espirais que giram lentamente ao redor de um eixo.


As galáxias elípticas são assim denominadas por apresentarem forma aparente de elipses. São simbolizadas pela letra E, seguida de um número inteiro de 0 a 7, que indica o grau de excentricidade da elipse. As galáxias elípticas de menor excentricidade são denominadas de E0 e possuem formato aproximadamente circular, enquanto que as de maior excentricidade são denominadas de E7 e possuem forma semelhante a grãos de arroz.


As galáxias espirais são mais observadas, constituindo cerca de 65% das galáxias conhecidas. Considera-se dois tipos principais de galáxias espirais: as normais e as barradas. O que distingue esses dois grupos é a existência ou não de uma formação com aspecto “barra”, que parte radialmente do centro para a borda da galáxia considerada. Nas galáxias espirais é grande o número de estrelas jovens e a quantidade de matérias interestelar.


As galáxias irregulares não possuem forma definida e subdividem-se em dois tipos: tipo I e tipo II.  Nas galáxias irregulares de tipo I podem ser distinguidas estrelas separadamente, o que não é possível nas de tipo II. Estudos apontam que as galáxias mais jovens são as irregulares e as mais velhas as elípticas.   


São chamadas de “galáxias fantasmas” aquelas que possuem uma quantidade tão pequena de luminosidade, que chegam a ser quase invisíveis. Estes aglomerados de matéria escura existem no espaço sem serem vistas, ao menos com os olhos ou outros tipos de radiação eletromagnética. Apenas seus efeitos gravitacionais podem ser detectados.


Tanto a nossa galáxia que se chama Via Láctea quanto a Andrômeda, galáxia mais próxima são do formato espiral. O tamanho da Via Láctea é de 105.700 anos luz de distância e a Andrômeda é 220.000 anos luz.

Você sabe o que tem no centro da Via Láctea? A resposta está a seguir!

Buraco negro

De acordo com a Teoria da Relatividade Geral, um buraco negro é uma região do espaço da qual nada, nem mesmo partículas que se movem à velocidade da luz, podem escapar. E no centro da Via Lactea existe um buraco negro supermassivo que está sugando tudo que vê pela frente para dentro de si e mandando pra Deus sabe onde.

Há algum tempo atrás conseguimos registrar a primeira foto de um buraco negro, porém, como a imagem ainda é primitiva, nem vamos ilustrar neste post, mas a imagem a seguir mostra bem como seria o sugar de um buraco negro a uma estrela gigante como a VY Canis Majoris.


Se a maior coisa do universo ele consegue sugar pra dentro de si sem dó, nem piedade, imagine sugar a nós! De fato um buraco negro é uma coisa impressionante no universo.

Quasar

O Quasar é um objeto astronômico distante e poderosamente energético com um núcleo galáctico ativo, de tamanho maior que o de uma estrela, porém menor do que o mínimo para ser considerado uma galáxia.


Acredita-se que a energia dos quasares resulte da acreção de material em buracos negros supermaciços no núcleo de galáxias distantes, tornando-os uma versão luminosa de uma classe mais geral de objetos conhecidos como galáxias ativas. Como a luz não pode escapar do buraco negro supermassivo no centro dos quasares, a energia que escapa está sendo gerada do lado de fora do horizonte de eventos pelo estresse gravitacional e intensa fricção no material que está caindo.

Ou seja, o Quasar é a mais poderosa expressão de energia do universo que mesmo sendo sugado por um buraco negro, ele consegue ultrapassar limites e destruir tudo que vê pelo caminho. No entanto, não consegue de livrar da presa de um buraco negro.

Estes são as coisas mais impressionantes no universo. E aí, qual a mais incrível de todas? O que você mais gosta no universo? Deixe seus comentários e até a próxima!
Se gostou desta publicação e curte os artistas aqui citados, compartilha com seus amigos e segue este blog nas redes sociais. Aqui tem o conteúdo mais pop da internet. Continue acessando!!!

Comenta aí...

Compartilhe

Olha isso...

Anterior
« Mais posts
Proximo
Outros posts »