Crítica de Vingadores Ultimato

Já faz quase uma semana que o filme mais esperado de 2019 foi lançado e arrastou milhões de pessoas aos cinemas e arrecadou outros bilhões de dólares, batendo recordes mundiais. Sim, estamos falando do filme Vingadores: Ultimato ou Vingadores: Endgame como preferir.

É sobre este filmaço que vamos falar e também fazer sérias críticas ao queridinho do público geral. E de já, avisa-se: Este post contém spoiler. Se você ainda vai assistir Vingadores Ultimato, é melhor nem continuar a ler este link. Mas se já assistiu o filme completo, está de boa. Segue em frente!


A crítica ao filme começa pela história por si só. Todos sabemos que Vingadores: Ultimato marca o fim de uma era na história de vários heróis da Marvel que tem ganhado filmes ao longo de 10 anos. E como um bom final feliz, o filme dá a todos as 'fanbases heroiquescas' suas devidas finalizações. Só que o raso desenrolar do enredo feito acaba fazendo que muitos perdendo valores na grandiosidade do universo compartilhado que foi criado durante anos para diferentes histórias dos heróis.

Todos os heróis da Marvel estão ali para derrotar o Thanos e cada um tem seu objetivo pessoal para conseguir isto. Eles se unem e trabalham em equipe para obter o sucesso. Até aí, tudo bem! O momento começa a complicar quando o explicar da história em si de Vingadores: Ultimato encontram respostas bobas para dar sequência lógica para o fim do Vingadores: Guerra Infinita em resoluções rasas. Quais estas respostas que vieram com péssimos desenvolvimentos?

Péssimo uso da Capitã Marvel

Capitã Marvel veio do espaço para ajudar a derrotar o Thanos e o próprio filme dela criou uma grande expectativa de que seria uma batalha épica e na hora, o primeiro momento do filme nos entrega uma explicação boba de que ele foi viver a vida dele num planeta qualquer e que ele destruiu as joias do infinito para que o universo mantivesse um equilíbrio e tals... Tipo, what?

Como assim Vingadores: Guerra Infinita tem metade dos seres vivos do universo mortos por um vilão que queria ser um fodão e depois que ele consegue, tudo fica chato e ele vai ser nada com coisa nenhuma num planeta qualquer? Por mais que a explicação seja poética, não foi nada épico ou heroico como deveria estar em consonância com o filme.

Daí, voltando a Capitã Marvel... Qual se torna o papel dela mesmo no que seria o fim da história do Vingadores: Guerra Infinita? Só voar para não sei onde e descobrir onde o Thanos está vivendo e levar os vingadores para lá. Ou seja, não exigiu muito dela pra isso. Pra que então criar tanta expectativa de uma heroína fodona se ela nem sequer mostraria os seus poderes?

Explicação da máquina do tempo

Por sorte, Vingadores: Ultimado tem esse plot twist de encontrar uma nova solução para recuperar os heróis perdidos que foram mortos pelo Thanos num estalar de dedos, mas o desenvolvimento também é farjuto e qualquer criança pensaria nisto em menos de 30 minutos de conversa e eles passaram quase mais de cinco anos para pensar que poderia ser possível criar uma máquina para voltar no tempo.

Será que foi preguiça de pensar numa forma de os vingadores que não morreram no estalar de dedos do Thanos conseguir derrotá-lo usando as manopla com as joias do infinito? Vou acreditar que não e pensar que essa solução para trazer de volta os heróis da Marvel partiu de um brainstorm de nerds fanáticos em uma grande convenção de fãs. E simplesmente aceitar, por que foi um dia legal e nostálgico que motivou a direção do filme a escolher o resultado final que temos hoje.

Importância do Homem-Formiga

A sacada do Homem-Formiga preso no universo quântico retornar para a realidade após um rato pisar de maneira certa numa sequência de botões fazendo um computador quase que destruído por completo trazer de volta ao tamanho normal foi algo que desce rasgando na garganta.

Após isto, ele tem toda a ideia de ir no reino quântico e criar uma máquina do tempo que conseguiria voltar atrás e mudar a história toda que dá continuidade a história do seu filme isolado, então todos bolam este plano e executam se tornando vários homens-formigas voltando no tempo cada um com uma missão.

O que não ficou claro neste momento foi qual a importância de todos virarem formigas? A máquina construída não era grande o suficiente para cada um ir em seu uniforme? O que faz deles viajantes do tempo é o fato de eles ter um equipamento tecnológico com recursos avançados e não os super poderes do homem-formiga, que por sinal, nem são tão patológicos assim. Tem mais recurso tecnológico do que propriamente algo que é do corpo dele mesmo. Neste caso, Tony Stark poderia ter feito algo bem pessoal pra cada um. Enfim... próxima questão!

Retorno de Tony Stark

Tony Stark que estava há anos vivendo uma vida normal com sua família, receber os seus amigos heróis (aqueles que ele ainda estava ressentido por ter fracassado contra a batalha com Thanos e que o deixou morrer no espaço durante sei lá, quanto tempo) e ser convencido por eles quase que instantaneamente, mesmo ele tivesse negado com veemência de que não ajudaria a correr risco de tudo dar merda de novo, mesmo sabendo que existiria uma possibilidade.

Ainda nele... Tony Stark que estava vivendo praticamente uma vida pacata sem tecnologia, simplesmente conversar com a Sexta-Feira e rapidamente criarem uma super máquina do tempo e do protótipo de uma ideia terem a certeza de que funcionará perfeitamente na realidade.

Neste caso, não podemos nem duvidar da geniosidade e inteligência do personagem e dos recursos tecnológicos do universo em que eles vivem, mas a narrativa para nós, telespectadores, poderia ser algo mais complexo. Nem precisávamos ver como ele conseguiu dizendo quase que palavras mágicas para um computador de ponta. Poderia ser só uma elipse que entenderíamos que ele se preparou, trabalhou duro e voltou com sede de vitória.

3 horas de filme

Quando soubemos que Vingadores Ultimato teria 3 horas de filme, imaginamos que elas seriam perfeitamente aproveitadas. Por que afinal, estamos falando de um mega investimento de Hollywood e que cada segundo vale mais do que um reles mortal ganharia por mês. Mas não... o filme perdeu muito tempo em conversa fiada e ressentimentos dos personagens.

A primeira hora do filme Vingadores Ultimato parece mais uma ressaca do último filme: Vingadores Guerra Infinita. Ele demora engatar por que dá-se todo o espaço para que a gente sinta na pele a dor dos personagens, carregue com eles o luto pela morte dos demais, crie esperança no mesmo tempo e reacenda o fogo de uma nova tentativa e corra em rumo da explosão que será a grande batalha contra o Thanos. 

Nada disso é errado de ter no filme! O errado foi a forma como as coisas aconteceram... Era muito drama particular para ser sentido! Tinha o fracasso do Capitão América, a tristeza da perda da família do Gavião Arqueiro, o drama da Viúva Negra em assumir a responsabilidade pelos Vingadores, entre outros. Como qualquer um, temos nossos personagens preferidos, mas a grande maioria gosta de todos. Então esse intuito de emocionar muito, ficou meio confuso.

Morte da Viúva Negra

Por falar em emoção de verdade, muitos ficaram de luto ao ver e/ou descobrir que a Viúva Negra morre no filme Vingadores Ultimato. De fato é uma dor muito grande a perda da agente Natasha Romanoff, mas não precisava ser logo ela. Tinham tantos personagens secundários e terciários... mas é de se entender a ideia da Marvel, visto que o filme da Viúva Negra vem aí.

O que não dá pra aceitar é que exista uma lei universal em relação às joias do infinito que diz que ela se sacrificou por uma magia inversível e daqui há alguns filmes, ela retorne com a cara mais limpa de que existia uma possibilidade: criar uma máquina do tempo que vai no reino quântico mágico.

Não dá é pra acreditar que de fato ela tenha morrido para a história dos Vingadores, mas enfim, vamos aguardar a volta da agente especial no seu spin-off que com certeza será um grande sucesso.

Mau uso dos personagens

Não dá pra aceitar que em 3h de filme Vingadores Ultimato não tenha conseguido usar corretamente a quantidade de personagens que tem. A primeira a ser comentada neste post foi a Capitã Marvel, que tinha se criado uma expectativa e na hora H pouco vimos ela em batalha. Ela voou aqui, deu uns murros aqui e ali no Thanos, mas nada muito excepcional como estamos costumados a ver.

O guardião da galáxia Peter Quill quase não apareceu em cena também. Dá pra contar menos que 10 cenas e somente em uma vimos ele sendo ele mesmo.

Pantera Negra correu aqui e ali com a manopla do Thanos, fez um carão aqui e ali e só. Tivemos pouco desenvolvimento do herói de Wakanda em cena.

Thor passou a maior parte das cenas fazendo uma comédia pastelão e não tivemos o herói sério e responsável que faz parte de quem ele é. Essa ideia de deixar Thor mais humorado não foi bem recebida em Thor Ragnarok e mesmo assim, os diretores estão insistindo em desconstruir o personagem. Será que vão conseguir?

A Feiticeira Escarlate por sua vez teve o que todos os outros heróis mereciam: um momento para mostrar o quanto é poderosa ao lutar contra Thanos, ainda que a força entre eles fosse desleal. Mas pelo menos vimos que ela uso o máximo que tinha e tivemos cenas impressionantes de sua ação em campo de batalha.

O queridinho do Stan Lee ganhou mais destaque pela emoção em reencontrar Tony Stark do que propriamente para mostrar suas habilidades de Homem-Aranha. No máximo ele só fugiu como pode, usando os recursos que tinham na hora.

A guerra contra Thanos

A grandiosidade apocalíptica criada para a guerra contra o Thanos necessitava que tivessem todos os povos do universo para batalhar pela vida. Isso não está errado! O problema foi a falta de tempo para mostrar cada herói dar o melhor de si.

O que tivemos foi só o que cada um pode fazer quando precisa fugir. Por um momento, dava até para pensar que eles estavam jogando futebol americano: a manopla era bola e cada um estava correndo para o outro lado do campo para fazer um ponto.

Feminismo 

Cada vez mais na moda, o feminismo no filme Vingadores Ultimato também se fez presente. Em um momento bem épico e exclusivo, tivemos a cena das heroínas da Marvel juntas contra Thanos. Nada contra o feminismo, mas já está virando clichê cenas assim.

A presença e importância de grandes mulheres como a Capitã Marvel, Viúva Negra, a Vespa, Feiticeira Escarlate, Gamorra entre outras já tem representatividade suficiente para entendermos que existem mulheres fortes e que elas merecem estar e ir onde quiserem.

Força do Thanos

Por fim, temos que falar sobre a força do Thanos, que no filme Vingadores Guerra Infinita recebeu críticas por não demonstrar o seu verdadeiro poder e neste Vingadores Ultimato conseguimos o ver em cena, na grande batalha, porém... ainda de forma mais passiva.

Thanos lutou contra os heróis da Marvel aqui e ali, mas o que o personagem queria mesmo era pegar a tal da manopla com as joias do infinito. A preocupação dele era só pegar a bendita da manopla pra estalar os dedos e matar todo mundo. Faltou um pouco de feeling de vilão nele para encarar os inimigos com força brutal. Mas enfim...

Feitas todas estas considerações, é lamentável pontuar Vingadores Ultimato com uma nota máxima. O filme é excelente, isso é inegável, mas deixou muitas coisas a desejar. Então com uma dor no coração, ficaremos com a seguinte pontuação pro filme.

Nota: 7,5
Se gostou desta publicação e curte os artistas aqui citados, compartilha com seus amigos e segue este blog nas redes sociais. Aqui tem o conteúdo mais pop da internet. Continue acessando!!!

Comenta aí...

Compartilhe

Olha isso...

Anterior
« Mais posts
Proximo
Outros posts »