Análise do EP 5 do Rouge

Desde que se começou a comentar sobre o retorno do Rouge, uma das questões mais debatidas é o lançamento de álbum novo e novas músicas. Eis que esse dia chegou! O Rouge lançou o EP 5 só com músicas inéditas e de autoria própria. E o que podemos dizer sobre este novo álbum do Rouge?

Confira a análise de faixa a faixa das músicas inéditas do Rouge do EP 5.


Como quase sempre começamos pela capa do álbum/single, eis que a arte do EP 5 do Rouge é para gostos duvidosos. Se tem alguma referência, não colou! Exceto a cor vermelha, que em francês significa Rouge... E quanto a tipografia do nº 5 não remete a nada, exceto o nome do álbum por si só, que aí sim, tem relação a quantidades de integrantes do grupo, já que marca o retorno da Luciana ao Rouge e também se refere a quantidade de músicas inéditas lançadas nesta nova fase.


Se critico é por que amo essa banda e gostaria que elas tivessem o melhor possível para ficarem marcadas e serem altamente relevantes ao mercado que se propõem atuar. A sensação que dá que uma pessoa próxima disse: "Deixa que eu faço! Não cobro não!" e saiu o que temos, uma capa sem gracinha. Mas tenho certeza de que se pelo menos a pessoa que tivesse feito, fosse fã de verdade do Rouge, a capa do EP 5 teria sido melhor.

O design Merlito com certeza faria algo mais bombástico. Confira em Capas de Single e álbuns melhores por Merlito Design noutro post aqui no blog.

Agora vamos falar sobre cada música nova do Rouge. Faixa-a-faixa do EP 5 e zaga e telhe!

Solo Tu

A primeira música do EP 5 é o reggaeton Solo Tu. A música tem uma batida boa, dá um gingado bom conforme o ritmo ordena dançar, mas a letra da canção é meio estranha. Para nós que gostamos de música pop, achamos normal que as letras de músicas de grandes cantores seja bobas, já que muitas vezes são cantadas em inglês e pouco importa o que significa, queremos mesmo é dançar... mas quando isso acontece numa música brasileira, a gente tende a achar que é sem conteúdo e destinada ao público infantil.

Solo tu do Rouge tem um pouco disto. O pré-refrão é chatinho... (Solo Tu... Solo Tu...), tem frases infantis (Com esse doce beijo de mel) e bobas, graças a mistura de idiomas. (Mi futuro is in your hands), mas no fim é aceitável. Logo essa música será bem aceita.

Beijo na Boca

Muitos fãs devem ter assimilado a música Beijo na Boca do Rouge a canção Beijo Molhado. Só que a música gravada no primeiro álbum do Rouge era um pop rock bem viceral e esta novata agora é um funk bem popular, com uma sonoridade muito boa, principalmente na parte do Vitão, o novo feat do Rouge. 

A letra de Beijo na Boca do Rouge não é reprovativa. Para um funk até que tem muito conteúdo. E a estrofe "Gosto como você faz. Sabor de quero mais" é gostosa de cantar, com certeza deve ser gostosa de dançar acompanhado.

Dona da Minha Vida

A dona do EP sem dúvidas é a poderosa Dona da Minha Vida. É indiscutível o quanto essa música é boa e marca essa nova fase do Rouge. Tudo nesta música é aprovavel. O clipe é perfeito. A verdade é que as Rouge tudo são dona da minha vida.

Sem Temer

Primeiramente, Fora Temer! A música Sem Temer do Rouge não tem nada haver com o bosta do ex-presidente do Brasil mas bem que poderia ser um grito contra o autoritarismo e intolerâncias. Mas não, a canção num tem nada haver com isso. Pelo contrário, Sem Temer é uma baladinha muito gostosa e que é leve e sem preocupação.

A música é bem diferente do tipo de baladas que o Rouge já gravou em álbuns anteriores. A letra é mais madura, o som é mais atual. Gostei!

Te Ligo Depois

A música mais parecida com o estilo Rouge dos primeiros álbuns é a música Te Ligo Depois. Cheia de vocais poderosos, batida pop, letra feminista e poderosa.
Se gostou desta publicação e curte os artistas aqui citados, compartilha com seus amigos e segue este blog nas redes sociais. Aqui tem o conteúdo mais pop da internet. Continue acessando!!!

Comenta aí...

Compartilhe

Olha isso...

Anterior
« Mais posts
Proximo
Outros posts »