Divas e os melhores álbuns de 2017


Este foi um ano intenso para todo mundo, de fato. Para algumas divas do pop que estavam sumidinhas, principalmente. Foi o caso da Pink, Anastacia, Lana Del Rey, Melanie C, Katy Perry e Shakira, que deram uma boa parada na carreira para voltar com força total para assumir seus merecidos lugares: estar entre os melhores álbuns de 2017. E com isso elas lançaram seus álbuns intensos e profundos. Este foi o ano de colocar verdades pra fora!

Como posicionamentos sempre são polêmicos, não será elencado o melhor álbum do ano nesta publicação, mas este autor descreverá segundo a ordem de sua preferência aqueles que ele considera como os melhores de 2017, seguindo a ordem do menor ao maior álbum do ano.

Se a sua diva pop não aparecer nesta lista, não fique triste ou apedreje este blog, apenas procure conhecer aqueles álbuns que passaram despercebidos ao seu olhar que esteve focado muito mais no brilho de sua cantora preferida. Certamente, todas fizeram bons trabalhos e merecem serem homenageadas por nos fazer amar e comprá-las mais uma vez.

Taylor Swift – Reputation

Taylor Swift mudou sua reputação de barraqueira para virar causadeira e entrar na lista das melhores do ano. Ela estava esperando por isso. Depois de tanto tempo escondida com seus álbuns, eis que Reputation veio para chocar. 


Vindo de Taylor Swift, era de se esperar por ...Ready For It, mas nunca poderia imaginar que Look What You Made Me Do conseguiria conquistar este autor que tinha um ódiozinho gratuito pela cantora. Ambas as canções foram necessárias para mudar a reputação da diva frente a opinião deste blog. Gorgeous!

Lana Del Rey – Lust For Life

Lana Del Rey não riu somente na capa de seu álbum como riu e sambou na cara da sociedade que achava que ela não sabia mais o que queria de sua vida. E com o lançamento do álbum Lust For Life, ela mostrou exatamente onde quis chegar: entre as melhores.


Tudo o que você precisa é Love e se entregar no romance de Lust For Life e na intensa 13 Beaches, mesmo que Cherry começe assustadora, por que logo você perceberá que ela é doce e inocente. E por isso mesmo é que nós embarcamos no White Mustang da Lana e curtimos o som do seu novo verão Summer Bummer. Nos entregamos em Groupie Love com Coachella Woodstock In My Mind na cabeça. God Bless America and All the Beautiful Women In It!

The Corrs – Jupiter Calling

Quase que The Corrs ficava fora desta lista, mas as filhas de Salomão foram fiéis ao chamado de Jupiter e trouxeram um álbum de outro mundo para nos levar para um universo de amor, verdade, sabedoria e paz. 


Son Of Solomon define bem a proposta do álbum. Ela é celta e milenar, tudo o que você precisa para ver o que há no outro lado da vida pop. E se você gosta de um bom country, que tal experimentar Chasing Shadows? E quem sabe se deixar levar pela suavidade de Bulletproof Love e descobrir que ela é mais envolvente do que se imagina. Assim como SOS

Jupiter Calling te leva a uma vigem sem previsão de volta. É apaixonante.

Pink - Beautiful Trauma

Sim, nós estávamos precisando de Pink para tomar mais um fôlego de vida e eis que a rockeira mais apaixonante de todas nos trouxe seu Beautiful Trauma e foi mais lindo do que poderíamos imaginar.


Quando achamos que iríamos nos entregar ao romance de Beautiful Trauma, eis que a canção nos fez dançar com seu clipe. E quem nos apaixonou mesmo foi What About Us e Whatever You Want. Assim como Barbies e For Now nos embalou. Mas como era de imaginar, o álbum nos trouxe a boa e velha Pink com Where We Go e Secrets. Nenhum segredo, claro.

Katy Perry – Witness

Um terço do pop esperava o retorno de Katy Perry e conveniamos, por um momento pensamos que ela seria a dona do ano, por que ela estava focada em tomar de volta o que era seu. O extraterrestre Witness foi supersônico, ultrassonoro, apaixonante.


Chained To The Rhythm foi audaciosa, Bon Appettit foi persistente, Swish Swish foi vitoriosa, Hey Hey Hey deu uma sacudida em quem estava dormindo, Roulette e Déjà Vu nos chamou para dançar, mas foi com o poder de Power que você provavelmente amou o álbum. Katy, minha querida, Miss You More! Save as Draf!

Shakira – El Dorado

Shakira começou a construir o legado do seu álbum El Dorado bem cedo e como quem não quisesse nada, ela foi emplacando um hit após outro e quando nos demos conta, a colombiana já estava com um álbum completão.


Foi gostoso dançar a latina Comme Moi e a americana What We Said, se apaixonar com Me Enamoré e Coconut Tree, apesar de sabermos que não foi Nada, apenas pura Chantaje, já que a cantora foi pretensiosa em When A Woman, mas tudo ficou bem em Amarillo e muito melhor em Deja Vu.

Anastacia – Evolution

O álbum da Anastacia não poderia ter outro nome senão Evolution, por que expressa exatamente o que a cantora trouxe na composição de um álbum: uma evolução musical e artística que tem potencial para agradar todos os públicos. 


Caught In The Middle e Redlight trazem uma pegada atual apesar de bem individual. Stamina quando entra na veia te faz pulsar impulsivamente e seguida de Reckless e Bloomerang o álbum domina todo o seu corpo e leva a outra realidade. Boxer nocauteia opiniões contrárias em relação à diva, mas a canção My Everything te leva ao chão. Pura emoção, assim como a sequência de Not Coming Down, Before, Pain e Why.

Melanie C – Version Of Me

Parece que Melanie C cansou de ser a eterna Sport Spice porque o álbum Version Of Me foi lançado para ser inesquecível e fazer com que conhecêssemos uma versão que nunca tínhamos percebido nela.

Despretensioso, Version Of Me vai te conquistando aos poucos e quando você menos espera, está amando cada verso, estrofe, notas e melodias. 


Dear Life é centrada, mas Escalator é um perfeito convite para dançar e a festa está por conta de Anymore. E quando pensamos que descansaremos com Something For The Fire, eis que seu corpo volta a queimar. Version Of Me é intensa e te entroniza a ouvir sem parar a fofa Numb, a emocionante Room for Love, a viciante Unravelling e a sensual Loving You Better. Mas é quando ela canta Our History que você percebe que não estamos dançando em círculos e o álbum atinge seu ápice com Blame e seu apaixonante refrão. Espere só mais One Minute e descubra o quanto este álbum é perfeito do início ao fim.

Na verdade, 2017 será inesquecível como cada um destes álbuns e a contribuição de cada uma dessas divas em nossa vida pop.
Se gostou desta publicação e curte os artistas aqui citados, compartilha com seus amigos e segue este blog nas redes sociais. Aqui tem o conteúdo mais pop da internet. Continue acessando!!!

Comenta aí...

Compartilhe

Olha isso...

Anterior
« Mais posts
Proximo
Outros posts »