Rebel Heart Tour da Madonna estreia com tudo


O show começa com um vídeo que mostra Madonna encenando a material girl dos anos 80 sendo perseguida e massacrada, enquanto outra Madonna no papel de Joana Darc segue com seus samurais ao seu encontro da rainha do pop para dar-lhe uma redenção.


Enquanto isso, toca a música "Iconic" introduzindo a abertura do show e desce Madonna samurai dentro de uma jaula sendo libertada por seus súditos guerreiros.


Madonna performa "Bitch I'm Madonna" no primeiro ato da Rebel Heart Tour usando uma roupa chinesa e portando um leque. Junto de suas dançarinas orientais, elas quebra tudo na coreografia do hit. E na parte do rap da Nicki Minaj, as imagens da rapper que foram utilizadas para o clipe.



Voltando no tempo, Madonna pega sua clássica guitarra e manda ver no rock de "Burning Up" e leva o público ao delírio. Queeeiimaaa....


Madonna gosta mesmo de uma polêmica! Colocar freiras dançando "Holy Water" subindo e descendo no pole dance vai dar o que falar. A performance, impecável! Principalmente quando Madonna mostra que ela é quem manda na sua idade e sobe no alto de uma barra em formato de cruz e utiliza uma de suas dançarinas como prancha de surf.


O ápice da canção é quando Madonna introduz "Vogue", uma de suas canções mais famosas. Com uma roupagem mais ortodoxa, Madonna dança em cima de um cenário que faz referência com a Santa Ceia e dá água benta para seus dançarinos em uma coreografia polêmica.


A performance mais esperada por este blogueiro aconteceu ainda durante a Santa Ceia da Madonna. "Devil Pray" é perfomada em cima da mesa de Jesus Cristo com a rainha amarrada em uma parte da coreografia e depois é libertada por um padre.


"Body Shop" e seu acalento som de cítara ganhou uma performance em meio a uma oficina antiga, estilo anos 80. E pegando o embalo da época, Madonna cantou "True Blue", sucesso antigo, em uma apresentação emocionante segurando um violãozinho e cantando ao lado de suas backing vocals que acompanha Madonna todas as turnês. Love Donna De Lore e Niki Haris! <3


"Heartbreaker City" também foi encenada como as demais canções. Nesta, Madonna sobe uma escada e tem um duelo corporal com um de seus dançarinos. E na emoção da música, "Love Don't Live Here Anymore" é novelada para findar a apresentação com mais intensidade ainda.


Com uma capa menos glamourosa que aquela que derrubou ela no Brit Awards, Madonna performou "Living For Love" em segurança, em todos os sentidos. A performance estava bem parecida com as demais que realizou na divulgação do álbum "Rebel Heart". A coreografia era a mesma, junto de suas dançarinas orientais e seus minotauros. A canção estava em uma versão remixada, mas deu para Madonna tourear perfeitamente.


"La Isla Bonita" acompanhou o momento toureiro para animar o público que cantava euforicamente um dos maiores sucessos da carreira da Madonna. Enquanto cantava, Madonna ia se despindo do figurino de toureira e ia se entregando ao tema espanhol, inserindo aos poucos flores e cores em seu show.


O medley de "Everybody", "Lucky Star" e "Dress You Up" trouxe a Madonna a la espanhola. Este foi um momento de diversão e muita descontração.


"Illuminati" ganha uma performance com dançarinos se balançando em barras há mais de 3 metros de altura, lembrando muito os homens de guerra do filme MADMAX.


A dançante "Music", teve pouca diferença da versão original, mas Madonna conseguiu dar uma nova 'cara' a performance da música. Estilo Chicago e festivais da Broadway de 1940, Madonna dançou com uma roupa de cafetina. E teve lugar até para sapateado de seus dançarinos.


"Candy Shop" seguiu o mesmo tema e continuou provocante como na turnê passada.


"Material Girl" ganhou uma versão anos 40 com dançarinos da época.


Emancipando "Like A Virgin" de véu e grinalda, Madonna trouxe uma versão bem parecida com a original canção dos anos 80.


Ainda no mesmo tema de Cabaret, Madonna cantou a francesa "La Vie En Rose", famosa canção. Em capela, acompanhada somente de um violãozinho, a  plateia cantou em coro junto com a rainha e foi muito aplaudida.

O show terminou ao som de uma canção festiva: "Holiday". Madonna apareceu vestida num colete americano usando uma cartola vermelha, mas acompanhada da bandeira do Canadá, país onde estreou a "Rebel Heart Tour". O que dá para ter esperanças de que em cada país diferente, Madonna segure a bandeira em celebração pelo show! Brasil manda lembranças...

Em meios a trancos e barrancos, a "Rebel Heart Tour" da Madonna estreou com tudo, mas não chega a ser a maior e melhor de suas turnês. Há más línguas que comparem o show a nível de Lady Gaga, querendo dizer que Madonna decaiu. Porém, na minha opinião, o show começou com o nível Madonna, profundo e intenso e depois do terceiro a quarto bloco do show, foi perdendo a criatividade (nas coreografias e figurinos), além de se mostrar um pouco cansada, não de estar lá, cantando e dançando como nunca, mas de fazer tudo aquilo.

Espero que Madonna melhore algumas coisas no show e que faça uma segunda temporada da turnê abrangendo, se Deus quiser, o Brasil, ou algum dos países da América do Sul, por que eu sou filho de Deus e quero muito ir para esse show espetacular.
Se gostou desta publicação e curte os artistas aqui citados, compartilha com seus amigos e segue este blog nas redes sociais. Aqui tem o conteúdo mais pop da internet. Continue acessando!!!

Comenta aí...

Compartilhe

Olha isso...

Anterior
« Mais posts
Proximo
Outros posts »